FANDOM


Faixo-de-Luar

Nome: Maye Van Der Weken

Cargo: Líder das Guardiãs do Caern

Tribo: j

Auspício: u

Nascimento: o

Posto: Athro

Totem Pessoal: Coruja

Característica: Vengeful

Esta orgulhosa athro exibe uma cicatriz à esquerda de sua bela face, provocada pela klaive do traidor chamado Vôo-do-Falcão, tendo sido salva na verdade pela sorte e a oportunidade conferidas ao jovem Honrado-pela-Prata na ocasião, seu então irmão de matilha. Ela abriu mão do prêmio da klaive do Espiral de Prata em agradecimento por realmente tê-la salvo, nutrindo o maior respeito pela bravura e habilidade do Yudina. Quando recebeu a ordem de matá-lo e seu tio, cerrou os dentes, secretamente mantendo o Elder na sua mira tempo além do necessário para um tiro certeiro, antes que conseguissem determinar um caminho da lua. Nenhum de seus Guardiões questionou o excessivo zelo de sua mira.

No passado, antes da investida contra a Casa do Uivo Austero, perambulou na companhia da Matilha das Guardiãs de Gaia, formada certa vez para investigar quem matava mulheres kinfolk de uma região: nenhuma tribo, aparentemente, estava a salvo. Mais tarde descobriu-se uma essência espiritual corruptora que movia-se com os ventos umbrais, levando diversas mulheres com o sangue certo a terem acessos de loucura e violência, não raro se matando - ou sendo mortas no processo de controlá-las. A matilha ficou famosa nos anos 90, sendo composta por mais duas Black Furies (Philodox e Theurge), uma Child of Gaia (Galliard) e uma Get of Fenris (Ahroun). Levaram algum tempo até concluir sua jornada, sempre se envolvendo em problemas ocasionais, políticos ou contra a Wyrm em outros aspectos. Assim que a essência foi identificada e detida, a matilha se desfez, mas cada uma delas sabe que pode contar com a outra, em futuro caso de necessidade.

De volta ao caern, passou pela investida contra o Uivo Austero, e depois foi nomeada como chefe dos Guardiões do caern. É uma habilidosa lutadora de Iskakku, mas lamenta quase nunca ter quem possa treinar.

Tem tido problemas com um primo seu, Protegido-do-Falcão, por crer que pode fazer um trabalho melhor do que ela. Teme o conflito pela liderança que, mais dia, menos dia, irá ocorrer.

Faixo-de-Luar percorre o umbra sempre fazendo uso da dádiva da Coruja, em um procedimento de vigília que raramente se espera - do alto.

Tem percebido os vôos solitários de outro filho da Coruja, o theurge Barion Sangue-Nobre.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.