FANDOM


(Ficha até 30 07 06)
(Opiniões Sobre Outros Garou)
Linha 67: Linha 67:
   
 
[[Stick]]: ''Da Man''.
 
[[Stick]]: ''Da Man''.
+
''Da Man, forever!''... mas realmente me questiono se sua criação um tanto ou quanto protegida em um caern de lobos possa capacitá-lo realmente para situações com seres humanos, homidas e a cidade em geral. Temo que sua pureza de coração possa cegá-lo para os tons de cinza da cidade. Claro que sempre contará com nosso apoio e sugestões...
   
 
[[Cantar da Noite]]: ''Fucking Crazy Broad!''
 
[[Cantar da Noite]]: ''Fucking Crazy Broad!''
Linha 78: Linha 78:
   
   
[[Sophis Ruv]]: Nossa Agregada-do-Gambá número 1!
+
[[Sophis Ruv]]: ''Nossa Agregada-do-Gambá número 1!''
   
  +
Nossa Agregada-do-Gambá #1, sem dúvida... mas eu ando incerto de algumas motivações dela. Parece ser a primeira a advogar entendimento e clareza entre as partes, mas na hora de revelar o seu lado, subitamente ela tem os melhores motivos do mundo para guardar-se para si.
   
 
[[Matilha da Unidade de Gaia]]: Às vezes penso se eles realmente entendem esse nome.
 
[[Matilha da Unidade de Gaia]]: Às vezes penso se eles realmente entendem esse nome.

Edição das 02h42min de 19 de novembro de 2006

Rastros-sob-a-Lua

Nome: Leif Halskar

Tribo: Uktena

Auspício: Theurge

Nascimento: Homid

Posto: Fostern

Totem Pessoal:

Características: Tudo que está relacionado com ele tem algo de estranho mas ninguém consegue confirmar se ele está maculado.

Obs.: Personagem do Hastur

Bio by Hastur:

A origem de Leif "Rastros-Sob-A-Lua" Halskar não é muito conhecida, pois ele dificilimente costumava falar sobre ela mais do que alguns grunhidos, antes de desviar o assunto ou se ausentar. O único que talvez saiba alguma coisa é o Uktena chamado Lago-dos-Mistérios.


Ele veio da Noruega, de uma cidade industrial nos arredores da capital, filho único de pais (que não sabiam da história verdadeira dos Garous) técnicos na fábrica, quase sempre ausentes.


Leif foi uma criança destrutiva, com pequenos atos de vandalismo que se tornaram em certos atos um pouco mais sérios na medida em que entrava na adolescência. Diversas entradas na delegacia quando menor, por problemas na vizinhança.


Ao atingir 17-18 anos, fugiu de casa de vez, tendo adquirido algum treinamento formal em técnico laboratorista que o permitiu ir para Oslo viver com um salário mínimo.


Ele frequentou a cena underground black metal - seu estilo favorito - pelos próximos anos, deixando-se envolver, por curtição, com ocultismo e esoterismo.


Até que um belo dia, ele e uma pequena "cabal de estudos" se deram de cara com a coisa verdadeira, que veio eliminando um por um do grupo, e Leif seria o último, não fosse na multidão de um show underground de rock pauleira que ele queria se esconder e pretender que nada ocorria, tivesse se dado a Primeira Mudança.


Lago-dos-Mistérios, um Metis Uktena que perambula pelos arredores da Escandinávia, estava seguindo o mal que afligia o grupo de Leif, e conseguiu seguir o jovem e confuso garou na noite de sua Mudança. Após alcançá-lo, proveu treinamento básico e a compreensão do mundo como ele realmente era. Para concluir seu treinamento, Lago-dos-Mistérios levou Leif para o Caern do Vento Frio, onde lá ele conheceu e ajudou a formar a Matilha dos Andarilhos da Tempestade.


Apesar de considerado um bom theurge, dificilmente Leif era um bom companheiro de matilha, irriquieto e impaciente demais, tomando decisões individualistas e arriscadas que levaram seus irmãos de Matilha a se constrangerem perante os Elders do caern. Discussões eram frequentes, até o climax de uma agressão física contra ele por parte do líder, o comedido e pacífico ahroun dos Children of Gaia chamado Stick.


A partir dali, o processo de isolamento de Leif agravou-se, com o contato por parte de seus camaradas a chamá-lo quando queriam aprender algum ritual, ou um Dom e precisavam falar com os Espíritos. Leif fazia tudo isso de boa vontade, pois mais e mais sentia-se melhor com os amigos espirituais que conhecia, dos que os de carne e osso. No mais, nunca negou as tarefas de sua Lua, nem o treinamento que obtinha. Até o momento de sua partida, uma pequena rede de contatos espirituais ao redor dele se formava -- a despeito de uma certa aura negativa que, como se já tudo isto não bastasse, sempre o acompanhava, e levava quase todo mundo que o conhecia a desconfiar dele, ou de suas razões.


O processo foi agravando, após a revelação no Caern da Deusa de uma visão do passado, onde Leif se via no lugar de um ancestral seu, rescendendo à Wyrm, levando uma resposta extremamente negativa - e física - das Elderes do lugar.


Nos últimos tempos, Rastros-sob-a-Lua vinha obsessivamente pensando como unir os Garous de ambos os septos - Septo do Concreto de Gaia e o do Caern do Vento Frio -, face ao perigo da Wyrm que se configurava, com direito à possibilidade da compra do território do parque do caern por alguém indeterminado. Chegou a expor seus planos para seus colegas, e obter o apoio indireto ou velado de um ou outro elder, mas ficou apenas nisso -- em seguida veio o Rito de Passagem para Fostern, em Galunlati, e decorridos vários dias, não mais se soube dele.


UPDATE 25 07 06: Sua volta não pôde ser em maior estilo, voltando vivo e com conhecimento especial para purgar o excesso da Wyrm. Contou somente com a Matilha do Uivo de Metal, o que levou a alegria de ser tido como vivo pelos seus irmãos de matilha ofuscada temporariamente por não terem sido eles os chamados primeiramente.


Os Elderes o receberam em um misto de receio e euforia pelo que ocorrera: bem ou mal, em um golpe só, a Wyrm na área sofrera um grande golpe.


Os dias passam, e ele sabe que há entre os do Septo do Concreto de Gaia que não ficaram totalmente satisfeitos com aquilo, face o número de mortos entre os espíritos que eram de suas antigas alianças. A Alma da Cidade não se manifestou mais desde então, e ironicamente a cidade que ele salvou não lhe é mais segura.


Atualmente, anda mais do que nunca intrigado a respeito de suas origens - o que já lhe rendeu uma confusão com Espírito-da-Neve.

Opiniões Sobre Outros Garou

Stick: Da Man. Da Man, forever!... mas realmente me questiono se sua criação um tanto ou quanto protegida em um caern de lobos possa capacitá-lo realmente para situações com seres humanos, homidas e a cidade em geral. Temo que sua pureza de coração possa cegá-lo para os tons de cinza da cidade. Claro que sempre contará com nosso apoio e sugestões...

Cantar da Noite: Fucking Crazy Broad!


Hunter: O sujeito que você quer com um rifle sniper - ao seu lado.


Makulus Karkanov: Não se saiu tão ruim quanto eu esperava, afinal!


Sophis Ruv: Nossa Agregada-do-Gambá número 1!

Nossa Agregada-do-Gambá #1, sem dúvida... mas eu ando incerto de algumas motivações dela. Parece ser a primeira a advogar entendimento e clareza entre as partes, mas na hora de revelar o seu lado, subitamente ela tem os melhores motivos do mundo para guardar-se para si.

Matilha da Unidade de Gaia: Às vezes penso se eles realmente entendem esse nome.


Sombra-do-Norte: A prova de que nem todos os Shadow Lords têm que ser anais.


Lago-dos-Mistérios: Eu devo tudo a esse cara. Tudo.


Elderes em geral: They don´t give a fuck for what do we think about them -- apenas esteja lá quando necessário, cumpra as ordens, traga orgulho a todos - e voe abaixo do radar na maior parte do tempo.

Rituais de Passagem

Ritual de Passagem para Fostern de Rastros-sob-a-Lua


Aparência

Em sua forma humana, Leif Halskar não é excepcionalmente alto, para o que se espera de um norueguês, com cerca de 1,78m, magro, sem ser particularmente impressionante, fisicamente.


Pele bem clara, olhos castanhos esverdeados, com cabelos escorridos, negros, até a altura dos ombros.


Diversas tatuagens com símbolos religiosos e ocultismo lhe descem por ambos os braços.


Veste-se de preto ou tons escuros, não raro com alguma camisa vagabunda de alguma banda de black metal.

Comportamento

Até seu Rito de Passagem, ele costumava ser desafiante, rebelde, levando atos à últimas consequências, e às vezes para o pior de todos. Individualista, questionando a autoridade como só quem tem 18-19 anos consegue. Orgulho também está no pacote.


Há todo um lado que ele jamais dará o braço a torcer, que é o do quanto ele ama os seus packmates, e o quanto ele daria a vida por eles.


Toda a gentileza que ele não dispensa ao mundo material - salvo pela formalidade, - ele se revela sendo a criatura mais cordata quando entre espíritos, parecendo estar mais à vontade entre eles do que com outros companheiros Garous.


Depois do Rito de Passagem, talvez venham a mudar as atitudes de Leif Storm-Bringer... er... Rastros-sob-a-Lua.

Rede de Espíritos

Guaco é o gaffling do Guaxinim que adotou a Matilha dos Andarilhos da Tempestade, e vela pelos seus. Constantemente, Rastros conversa com ele, mantendo uma relação próxima, para ver se ele está satisfeito - além de um ou outro acordo pessoal.

  • Diversas vezes Guaco lhe apareceu, especialmente nos momentos de grande angústia, para tentar lhe confortar.


Nobreza Alada é da brood do o antigo Totem do caern, este havendo se compadecido certa vez do estado de desespero de Rastros-sob-a-Lua pela situação de Pedra-de-Ferro, e falou abertamente com ele. Isto impressionou bastante o jovem Cliath, que passou a dedicar preces a ele. O Totem destacou seu poderoso gaffling chamado Nobreza-Alada para, sempre que possível, estar perto do Uktena.

  • Nobreza Alada avisou Rastros de que os Silver Fangs vinham em peso, em um moot meses atrás.


Olhos Furiosos é um gaffling da Coruja, que foi conjurada em um ato de desespero, erroneamente, descendo para matá-lo, extremamente ofendida. Rastros-sob-a-Lua conseguiu conter o ataque segurando em suas garras, mas um castigo e penalidade lhes foi imposto, e o Uktena cumpriu seu dever seriamente, além até do esperado, sempre esperando sua aprovação. Após o que, o gaffling julgou que o Uktena merecia uma segunda chance.


Durante a invasão espectral-viking em Copenhague, dois espíritos da Cidade passaram a acolher e ser acolhido por Rastros-sob-a-Lua:

O primeiro é Bob, neste link. o avatar do Totem da Pilha de Lixo está no Caern do Vento Frio por uma temporada limitada, sente-se deslocado, mas Rastros-sob-a-Lua sempre lhe fez confortável como possível - "Bob" é graças a ele -, e a isto o espírito ficou agradecido.


O outro é o gaffling da Barata Thor Migalha, quando este Totem foi enviado pelo theurge White Noise (da Matilha do Uivo de Metal para proteger a Matilha dos Andarilhos da Tempestade, que quase morre em um traiçoeiro ataque dos Ratkins. Portanto, Thor-Migalha tem em comum com este outro theurge.

  • Thor-Migalha apareceu para lhe avisar que, bem ao norte, os Glass Walkers sussuraram seu nome, e sua necessidade de tê-lo mais ao norte, porém com fins ignorados.


Em tempos mais recentes, o elemental da terra chamado Rocha Velha, foi convocado pelo Uktena, para tentar espionar a base do 747, sem conseguir nenhuma informação e havendo saído corrompido pelas estranhas emanações de lá. Rastros e os demais Garous presentes executam um Ritual de Purificação, sem nada cobrar de volta. Isto despertou o respeito do elemental, que passou a constar na rede.

  • Mais recentemente ele foi convocado para auxiliar duas vezes, na primeira descozendo uma trilha padronizada pelas aranhas da padronização de Legoland, que levava direto à contaminação da base do 747, e a segunda para guardar uma Pedra do Caminho.


Sempre em contato e preces com os espíritos com quem encontra, a tendência de sua rede é ampliar, com o tempo.

Ficha até 16 11 06

Força 2 Destreza 2 Stamina 2

Charisma 3 Manipulação 4 Aparência 3

Percepção 3 Inteligência 3 Raciocínio 3


Talentos: Alertness 2 Athletics 2 Brawl 1 (+1) Dodge 2 Expression 2 Pr.-Urge 2 Streetwise 2 Subterfuge 2

Skills: Animal Ken 1 Crafts (Talismã) 1 Drive 1 Etiquette 1 Stealth 2 (+2) Survival 1 (+3) Iskkaku 2 Meditation 1

Knowledges: Computer 1 Enigmas 2 Investigation 3 Linguistics 2 (Norueguês, Inglês, Dinamarquês) Occult 3 Politics 2 Rituals 4 Science 2 Umbra Lore 1

(+) = providenciado pelo Totem da Matilha


Backgrounds

Aliados 2 (Lago dos Mistérios)

Contatos 1

Past Lives 3

Spirit Network 1


Gifts

Implacable Grip

Mother´s Touch

Persuasion

Sense Magic

Sense Wyrm

Shroud

Spirit Speech


Ritos:

Minor Rite: Ritmo dos Ossos


Tipo I:

Rito de Assembléia

Rito do Batismo de Fogo

Rito de Contrição

Rito de Dedicação ao Talismã

Rite of First Wound

Rito da Pedra Caçadora

Rite of Opened Caern

Tipo II:

Rite of Adoption

Rite of Binding

Rite of Cleansing

Rite of Summoning

Rite of Talisman Creation


Special: Rite of Kame-Hame-Ha


Rage 3 Gnosis 5 Willpower 5


Flaw: Mácula da Suspeita

A Lua Crescente

(dá de ombros, indeciso)


Hum, por onde começar...


Acho que não dá pra descrever direito. Nem tanto porque seja nas línguas humanas ou no Velho Idioma não hajam palavras suficientes, mas porque... é algo mais intuitivo do que racional, e ao mesmo tempo eu pressinto que apenas poderia dar a minha relação com minha Lua, ao invés do que "é ser um theurge", digamos assim.


Então, no fim das contas, vou estar falando do Rastros-Sob-A-Lua, Theurge, Fostern e Uktena. Não creio que possa falar como Sombra-do-Norte, ou Cérberus, se sintam a respeito.


Ver a Lua Crescente pela primeira vez nos céus é uma satisfação contida, uma alegria que somente pode se trair pelo meu olhar. O coração bate mais forte, e é assim com todas as Luas, de tudo o que se conta.


Ser um Lua Crescente... é um baú de tesouros. É o contato mais próximo com Gaia que um Garou pode almejar: lidar e falar com sua prole mais velha, os Espíritos. E negociar com eles. E... brincar, e ouvir suas histórias, e firmar e reafirmar velhos e novos pactos, lutar ao lado deles, chamá-los, ser atendido, e se for preciso, morrer ao lado deles.


Lua Crescente é dedicação, é compromisso, é sentir tornar-se parte desse grande mundo, que é a manifestação da própria Gaia. Orações como eu jamais pensei ser capaz de rezar, heh... *coça a cabeça* considerando o que eu já fiz em algumas igrejas, mas deeeixa pra lá...


Lua Crescente é não ser entendido por ninguém do mundo material, mesmo os seus packmates, e ao mesmo tempo não ser um Espírito, mesmo entre os que são amigos seus há tanto tempo!...


Ser um Lua Crescente é estar acompanhado o tempo todo, e ser sozinho sempre. Mas eu não consigo imaginar outra vida. Nem quero para mim.

O conteúdo da comunidade está disponível sob CC-BY-SA salvo indicação em contrário.